GREEN CARD - EB3

Nesta sessão, iremos detalhar as etapas do processo de validação de diploma até ter o cliente apto para trabalhar como fisioterapeuta nos Estados Unidos de maneira legal e com o seu GREEN CARD. Este é um processo que pode levar de 1 a 2 anos, dependendo da qualificação do candidato. Se o fisioterapeuta já tiver o TOEFL ou IELTS irá ajudar a agilizar o processo. Por isto recomendamos que estudantes foquem no TOEFL ao longo do último ano da faculdade para agilizar o processo.

 

Como este não é um processo simples ou rápido, o profissional terá que ser uma pessoa muito persistente, estudiosa e otimista.

Primeiramente, a pessoa deve escolher o estado americano onde irá atuar como fisioterapeuta. Isto é importante, pois cada estado exige diferentes pré-requisitos do profissional. Por exemplo, o estado de Arkansas, exige que o candidato tenha toda documentação avaliada por uma agência americana, apresente três cartas de recomendação de fisioterapeutas, verificação da ficha criminal, e que passe nos seguintes testes: TOEFL (de proficiência em inglês), exame estadual de legislação e o Exame Nacional de Fisioterapia, o NPTE (National Physical Therapy Exam). Alguns estados são mais fáceis que outros, mas todos exigem que o terapeuta tenha as credenciais equivalentes as dos cursos americanos e que passe no exame nacional.

Após escolher o estado, o fisioterapeuta deverá ter sua documentação, curriculum, histórico escolar descritivo, diploma, e licença brasileira avaliados por uma agência especializada. A documentação pode variar conforme o status com a migração. Existem no mínimo três agencias, porém a maioria dos aplicantes opta pela FCCPT, Foreign Credentialing Commission on Physical Therapy. Os documentos devem ser enviados em envelope lacrado diretamente da universidade e do conselho de fisioterapia do seu estado para a FCCPT. A agência então enviará uma cópia dos documentos para o candidato, que deverá pagar um tradutor juramentado para traduzí-los. A tradução geralmente é a parte mais cara do processo. O tradutor enviará os documentos traduzidos para a FCCPT.

Após receber a tradução, a agência utilizará o CW5, documento que verifica a equivalência educacional. Comumente, o profissional estrangeiro terá que fazer matérias complementares. Existem dois grupos de matérias: as gerais, por exemplo matemática, geografia, biologia e química; e as profissionais, que são as matérias específicas da fisioterapia. Nós temos relatos de fisioterapeutas que necessitaram fazer trinta créditos gerais e dois créditos profissionais. Desde 2014, a maioria dos conselhos de fisioterapia americanos não exige mais que o estrangeiro faça todos os créditos gerais.

Há três maneiras de ganhar créditos.

Primeiro, estudando em uma universidade ou college, que certamente é mais caro e demorado, mas o estudante terá vivência com estudantes americanos e melhorará no inglês. Segundo, cursos onlines como os oferecidos pela University of St. Augustine.

Por último, o CLEP, método mais rápido e barato, onde a pessoa estuda em casa e faz o teste em um centro de teste ou college.

Quando o fisioterapeuta atinge os créditos desejados, deve enviar os dados para a FCCPT, que fará uma reavaliação . O terapeuta e o conselho de fisioterapia do estado escolhido receberão uma cópia do resultado final. Assim, o candidato será liberado para fazer o NPTE.

Passar no Exame Nacional de Fisioterapia, o NPTE, requer muito estudo, pois em média apenas 30% dos fisios estrangeiros passam na primeira tentativa. Em comparação, 90% dos fisios americanos passam. Quem se graduou nos EUA estuda de três a seis meses, os profissionais estrangeiros estudam em média um ano. O conteúdo da prova é bem parecido com é ensinado no Brasil. Existem algumas diferenças como cuidados de feridas, ensinando e aprendendo, e legislação. É necessário um score em torno de 75% para passar.

 

Há cursos preparatórios para a prova. Alguns destes são: Therapy Ed, PT Final Exam, e Therapy Exam Prep. O THERAPY ED é bem prático pois dura apenas dois dias. Neste curso, o estudante recebe dois livros para guiar o estudo. Além destes livros, recomenda-se outros quatro (Kisner, Magee, Sullivan, e anatomia), google e artigos como referência. O terapeuta também deve estudar várias horas por dia, fazer um plano de estudo, e testes simulados que são fundamentais para passar. Os testes simulados ajudam muito o estudante a saber quais são os seus pontos fracos e fortes e assim você pode se dedicar ao que é mais importante. Os testes que eu fiz são: cinco dos livros do Therapyed; três Scorebuilders, dois PEAT, que é o simulado mais parecido com o NPTE. Você saberá que tem conhecimento suficiente para passar no NPTE quando pontuar entre 65% e 70% nos simulados.


Outro passo importante é o TOEFL. O teste é dividido em quatro partes: reading, listening, speaking e writing. Portanto, se você está planejando se tornar um fisioterapeuta nos EUA, se dedique muito ao inglês.

interessado ? entre em contato conosco para mais detalhes. Nós temos os empregadores e fazemos a assessoria para deixá-los aptos para trabalharem legalmente nos estados unidos

    © 2020 por Mundafora. Criado orgulhosamente com Wix.com